12.2.17

Fifth & Zayla

Parágrafo.
E houve alturas em que nos odiei.
Em que te odiei por me teres partido o coração e arrebatado todas as minhas esperanças e odiei-me por te ter deixado fazê-lo. Por teres feito com que a minha visão no amor fosse completamente deslocada da realidade, por me teres feito pensar que algo tão puro e inocente pudesse ser igualmente cruel.
Mas houve outras alturas em que nos amei.
Por sermos tão felizes juntos como quando muito mais tarde separados, por me teres dado textos lindíssimos e me teres tornado no que sou hoje.
No passado fomos um juntos, fomos sorrisos, tempo, proximidade, descoberta, carinho, lágrimas, desespero, desilusão, perda e descoberta mais uma vez.
Hoje somos amenos, hoje somos um ódio-amor com pouca importância, hoje quero-te feliz como sempre quis. Hoje percebemos porque existimos na vida um do outro e porque não haveríamos de persistir, somos um com e e sem o outro, não deixamos de ser um por mais ou por menos.
No futuro serás sempre o meu passado, no futuro sou feliz e tu és feliz. No futuro vou sempre amar-nos e odiar-nos sem rancor ou arrependimentos.
Tenho um carinho por ti que não cabe nas mãos mas também não jorra pelos olhos, tenho um espaço no coração guardado para ti e sei que isso é a melhor maneira de guardar alguém dentro de nós. Não te quero perder cá dentro como um dia perdi cá fora.
E se um dia prometi a mim mesma que iria deixar de escrever sobre ti hoje retiro todas essas ocas promessas pois és uma das minhas mais bonitas inspirações.
Ponto Final.

Lisbon, February 2017


2 comentários:

  1. Conheci agora o teu blog, juro que adorei este texto. Realmente um dia somos tanto e noutro somos um nada tão grande. Parabéns e continua. Irei regressar ao teu cantinho. Um beijinho!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Sara! Antes de mais muito obrigada pelo teu comentário. É muito bom saber que gostam e se identificam com o que escrevo. Espero que voltes e que gostes do que vais encontrar! Beijinho

      Eliminar