26.8.16

When the Sun goes down

Olá Zé,
No outro dia fui à praia, eram quase 20h da noite. Fui ver o pôr do Sol e a praia estava deserta, a areia era branca, o mar estava revolto e foi tão lindo Zé. O Sol é maravilhoso e enquanto ele se ia embora despedindo-se e levando consigo o seu brilho, eu pensava em tudo e mais alguma coisa, a minha mente estava ao rubro Zé. Depois apareceu a Lua, no lado oposto ao Sol. Não fiquei sozinha Zé, mas explica-me como é que duas coisas tão lindas se podem encontrar em cantos tão opostos: Zé não é justo. Tudo aquilo foi uma cena tão nostálgica Zé, o som do mar, o contraste das diferentes cores, os cheiros no ar. O mundo é tão maravilhoso sem ninguém por perto não é ? Basicamente é tudo o que te quero dizer Zé: O mundo é lindo.
Acho que cometi um crime nesse dia, ver tudo aquilo sozinha, experiênciar tudo aquilo sem mais ninguém por perto só pode ser crime Zé e eu conto contigo para que não contes a ninguém. Para a próxima vez levo-te comigo e dizes-me o que pensaste e no que pensas.
Ai Zé... sabes que tenho um medo enorme de não estar a vivenciar tudo o que devia mas naquele momento, no preciso momento em que o Sol terminou, em que o vento embateu na minha cara, o mar me tocou na ponta dos pés e a minha pele se arrepiou, eu fui infinita Zé.

Sim, sou eu na foto Zé,



Sem comentários:

Enviar um comentário