3.4.14

I Grew Up Without You, I Don't Need You Now

Talvez a parte que me tenha custado mais foi perceber. Exacto, foi ver nos teus olhos a minha imagem reflectida. A imagem da desilusão, da Coitadinha, da fraca, da cínica.
Custou-me porque não o esperava de ti, custou-me mas não te culpo porque quando não passamos pelas mesmas dores que os outros, automaticamente julgamos e mesmo que apenas tenhas referido poucas palavras de repulsão, eu vi o nojo patente na tua expressão.
Custou-me porque nunca pedi ajuda quando caí, nunca. Desta vez pedi-te ajuda e tu não me apanhaste. Pelo contrário, quando eu me levantei, tu fizeste-me tropeçar de novo, passaste-me a perna e não deste hipótese de eu me voltar a levantar. Doeu porque eu pensei que o melhor era ficar no chão e eu morri por dentro e tu sabes disso. Mas às vezes isso é necessário. Foi necessário eu morrer por dentro para me conseguir levantar.
Eu cresci quando deixei de acreditar que, aconteça o que acontecer, vais ter sempre alguém. Deixei de acreditar nisso porque todo o mundo sofre continuadamente e para nos preocupar-mos com os outros temos de meter pedaços de nós de lado.


Eu posso ter estado mal, partida, mas não voltarei a pedir ajuda a ninguém porque custa pedir ajuda e custa ainda mais meter o orgulho de lado, mostrar a parte fraca e ainda assim nos julgarem, não nos ajudarem e atirarem-nos à cara o quão insuficientes somos.


Sem comentários:

Enviar um comentário