16.3.14

I don't trust you, but I love it

É da minha natureza não confiar nas pessoas, nem nas coisas boas que elas dizem, nem nas más que elas fazem. Eu desconfio de tudo e mais um pouco.
Seria de esperar então, de ti, que desconfiasse o dobro mas eu gosto desta dúvida que me causas, porque num dia dizes que 'sim' e no outro dia já é 'não' e mesmo que eu saiba que o 'não' vem em vão para me enervar eu fico ligeiramente irritada com isso. Eu não te suporto e é por isso que gosto de passar tempo contigo, és um desafio para mim e eu soube disso desde o primeiro dia que me mandaste ir dar uma "curva" indirectamente. Onde é que eu quero chegar com isto?
Tu não podes ser um desafio para mim, eu tenho que te suportar como suporto outra pessoa qualquer, tu não podes ser diferente porque eu gosto do diferente e isso tá errado. Mas nada é errado quando te faz feliz não é verdade? dizem isto e logo a seguir me julgam por cada sentimento despojado nas minhas palavras.
Ser feliz magoando os outros é um golpe baixo, mas poderei eu sempre agradar a todos? eu acho impossível, mas esforço-me para isso.
Como referi no texto anterior. A felicidade é uma guerra e há sempre alguém que sofre com isso, na guerra há o vencedor e o vencido. Mas eu pensei que a minha guerra era outra e não quis abrir os olhos para esta. Porque não achei que valeria a pena lutar sozinha por algo inútil, e ainda não sei se vale. Eu quero o que todos queremos, não quero lutar por algo que no fim não valerá nada, por algo que no fim será e vão. Não quero ter cicatrizes por simples prazer de lutar sem no final ter algo merecedor. Por algo onde teremos mundo e meio contra nós. Mas eu também sei o quão teimosos nós somos, e sei que para metermos isto na cabeça vai custar um bocadinho. Até lá não sei se me afasto de ti ou não. Porque eu não te suporto, mas eu também não suporto o tabaco e no entanto viciei no cheiro. - A gente não dá certo juntos, e nem separados. Também não damos certo como um casal, nem como amigos e muito menos meros conhecidos. A gente não da certo de maneira nenhuma! Mas temos química. Química em excesso. E talvez seja por isso que eu nunca consegui desistir de nós.

Sem comentários:

Enviar um comentário