4.6.13

CYCLE

«Foi um sofrimento horrível, mas durante o ano em que passei imobilizado, pude compreender uma verdade: de tudo o que perdi, era o coração que me fazia mais falta. Ninguém pode amar sem coração. »

Eu sei o quanto custa conter uma lágrima e engolir um choro à frente de quem amamos, sei o quanto dói andar por um céu cinzento com a alma sangrenta e ainda assim ter que sorrir. Sei que de noite, depois de mais um dia tortuoso vais para o teu quarto chorar para ninguém te ouvir. Sei o quanto desejas que tudo acabe e te perguntas o porquê de tudo a cada segundo passado. Mas ao longo do tempo aprendi três coisas: O que vai não volta; Vais ter de ser forte porque estarás sempre sozinha; Nunca entenderás o porquê de certos acontecimentos.
Contudo posso dizer-te o que vai doer mais serão os tempos depois dessa água toda largada, os tempos onde te sentirás um 'nada', vazia e movida apenas pelos músculos e pelo bater do coração físico. No inicio perguntares-te-às onde foram parar aqueles intensos sentimentos e não obterás resposta e isso também não te vai importar porque na verdade, já nada importa.
Já não sorris, já não ris, já não gritas, já não pulas, já não reages, no entanto, também não choras, não te desiludas, não sentes e posso dizer-te que foi essa a única vantagem que retirei do meu vazio: o regelo do meu fraco coração. Ninguém realmente importava para mim, nem eu própria me sentia bem perante mim. Todas as vezes que te mandarão a baixo, te gritarão, te levantarão, não farão diferença nenhuma para ti.
Depois vem aquele dia em que um novo sorriso aparece por alguma coisa dita, com ele vem uma nova lágrima, um novo batimento do coração e no final apercebeste-às que a vida não passa de um ciclo vicioso onde apenas alguns merecem viver pois não podemos ser felizes o tempo todo e outros não aguentam.


Sem comentários:

Enviar um comentário