25.5.13

The Diary Of a Childhood

Querida Inês,
Já não te escrevo há uns belos dias, como tens passado ?
Os meus têm sido uma confusão. Eu queria poder descrevê-los aqui mas não sinto confiança para tal. Posso apenas dizer-te que as memórias de infância são demasiado dolorosas e que os meus medos estão a ser revividos de novo, dei conta disso esta semana.
Na minha vida tudo se repete, como um ciclo vicioso e eu não quero fazer parte dele, mas não me resta escolha.
Prometo contar tudo aqui um dia, quando já não faça sentido para nenhuma de nós.
Até lá, escrever-te-ei.
Da tua, sempre, Beatriz.

Sem comentários:

Enviar um comentário