2.3.13

Hours of Meeting

A felicidade sempre foi algo que se adequou. Não digo a mim, mas sim a nós, a ambos. Proporcionei-te momentos que nunca esquecerás, batimentos cardíacos como nunca sentirás iguais, falta de ar e de alguma maneira, fiz sentir-te bem.
Como seria se escrevesse isto numa folha de papel vulgar com a cor de uma caneta complexa ? Se comprasse um selo, com um coração quem sabe, e o colasse no cantinho da minha carta e escrevesse o teu nome no lugar do destinatário ? aceitarias a carta ou eu iria mais tarde receber no correio com um carimbo a vermelho a afirmar "Carta devolvida ao remetente" ?
Talvez um dia nos encontremos na rua onde outrora fomos felizes. Ou talvez não.

- Uma Carta Inacabada para ti, Beatriz Bernardo.

2 comentários: