27.8.12

The Diary Of a Childhood


Querida Inês,
A nossa vida é feita de escolhas, e as nossas escolhas têm consequências, que mais tarde se tornam lições. Nós, somos feitos de escolhas. Gostamos disto ou daquilo. Queremos isto ou aquilo. Para a direita ou esquerda. Frio ou quente.
Disse á Joana que aceitava a proposta dela, feita há quase um ano, a proposta de ir viver com ela e com o André para Nova Iorque - preferia o Alasca, sempre preferi -. No inicio disse-lhe que não, pensei que não passava de um sonho de crianças, como aqueles que temos e que nunca se realizam, mas mesmo que seja, eu vou. Com ou sem eles. É uma escolha cobarde e eu sei disso, mas ser corajosa ainda não me trouxe benefícios. Quero deixar tudo isto para trás das costas. As discussões, as asneiras, as noites, os dias, a casa, tudo. Não quero deixar nenhum vestígio meu cá. Ainda faltam 4 anos, e magoa-me saber disso, porque a cada minuto que passa, alguma coisa piora, e mais quatro anos ? lá está.
Talvez telefone para perguntar como estão as coisas por cá, não com intenção de saber, porque elas não vão mudar. Talvez os venha visitar e fingir que somos uma família feliz. Talvez eles me mintam para eu me sentir feliz ou talvez eu lhes minta sobre a razão pela que fui embora. Ou talvez nem me queiram ver à frente. O 'não' destrói e o 'talvez' magoa.
Dizem que devia ser psicóloga. Nem os meus problemas sei resolver, quanto mais os dos outros. Acho que não conseguiria ver alguém a sofrer tanto como eu, ou mais e ver que o futuro desse alguém estava nas minhas mãos.
Mais uma vez, a vida é feita de escolhas e eu fiz a minha.

Da tua, Beatriz.

Sem comentários:

Enviar um comentário